Rio Grande do Sul -   Pelotas - Adjacência da Praça Coronel Pedro Osório
Dentro da região mais central da cidade, apresentamos os prédios adjacentes à Praça Coronel Pedro Osório, dentre eles, os mais próximos, como: Mercado Público Central, Escola de Agronomia Eliseu Maciel, Banco Nacional do Comércio, atual Centro de Integração do Mercosul, Banco Pelotense, atual Banco do Estado do Rio Grande do Sul, Teatro Guarany, entre outros que formam o chamado coração da cidade.
O Mercado Público Central.

Mercado Público - atual Mercado Central. - Localização: Praça Sete de Julho. - Dias de funcionamento: Diariamente - Horário Comercial - Telefone para informações: (53) 3225-3733. - Um pouco de sua história:

Construção: 1847, com a aprovação da construção em 1846, foi elaborado o projeto, mas a Câmara Municipal não conseguiu recursos para sua construção. Em 1849, Roberto Offer apresentou à Câmara um outro projeto, considerado de valor exorbitante mas de boa qualidade. Consistia num prédio quadrado, de pátio central com acesso pelas esquinas. A construção destinada às lojas, o pátio ao comércio informal e o centro à primitiva torre do relógio, de material, com abóbada e sotéia (mirante). No período de 1911-1914, o Mercado sofreu uma reformulação profunda em termos de plantas e fachadas, obras dirigidas pelo engenheiro Manoel Itaqui, nesta fase o prédio recebe, além de mudanças de acessos, a torre do relógio e o farol de ferro, importados de Hamburgo, na Alemanha, fazendo uma alusão a Torre Eiffel. Do farol emergia luz de uma poderosa luminária rotativa, que espargia raios para todos os quadrantes. Vista de longe, identificou a cidade por muitos anos. Contam moradores da Cascata e Três Cerros que, à noite, era possível ver o famoso farol do Mercado.  Na planta anterior os acessos eram apenas pelas esquinas em chanfro coroados por um frontão triangular. Já na planta de 1914 o partido e a volumetria modificaram-se, tornando os acessos centralizados nas fachadas e torreões nas esquinas, com suas circulações internas em cruz, com um arcabouço central apoiado em 74 colunas de ferro, com tesouras ligadas por vigorosas vigas de ferro abertas em ogivas e com vitrais nas ogivas laterais. O primeiro prédio é de linhas simples apresentando um ritmo de cheios e vazios marcados pelas vergas em arco pleno no vão das portas. No seguinte os torreões recebem na platibanda ornamentos com guirlandas de flores e frutas em relevo, em estilo Art-Nouveau.  Possui 120 lojas dos mais variados tipos. O relógio e o sino existem até hoje.  Atualmente, continua exercendo a sua função abastecendo a cidade com seus diferentes tipos de produtos.

Fonte destas quatro imagens: Nelson Nobre Magalhães, Francisca Michelon e, Eduardo Arriada.
Mercado Público Central - esquina da Rua 15 de Novembro com Rua Lobo da Costa - as outras três esquinas: Prefeitura e Secretaria Municipal de Finanças e Praça Cel. Pedro Osório.
Frente do Mercado Público Central, visto da esquina da Rua Andrade Neves, com Rua Lobo da Costa - adiante, Rua 15 de Novembro - as outras esquinas: Mercosul e Escola de Agronomia Eliseu Maciel.
A mesma frente do Mercado Público Central, visto da esquina da Rua Andrade Neves, com Rua Lobo da Costa - adiante, Rua 15 de Novembro mostrando agora o prédio da Secretaria Municipal de Finanças, que faz esquina com a Praça Coronel Pedro Osório e Prefeitura.
A mesma frente do Mercado Público Central, mostrando agora em detalhes, o passeio calçado com pedras em duas cores, formando um belo desenho, visto da esquina da Rua Andrade Neves, com Rua Lobo da Costa - adiante, Rua 15 de Novembro, mostrando ainda o prédio da Secretaria Municipal de Finanças, que faz esquina com a Praça Coronel Pedro Osório e Prefeitura.
 
Estas e as imagens anteriores, mostram a frente para a Rua Lobo da Costa, onde também faz frente, a lateral da Prefeitura.
A mesma frente do Mercado Público Central, para a Rua Lobo da Costa, esquina com a Rua Andrade Neves, onde nesta frente se localiza a "Banca do Peixe", que aparece pequena parte adiante.
Detalhe na platibanda.
Imagem da platibanda da entrada de uma das quatro frentes iguais.
A mesma frente do Mercado Público Central, para a Rua Lobo da Costa, esquina com a Rua Andrade Neves, mostrando agora a "Banca do Peixe".
A mesma frente do Mercado Público Central, para a Rua Lobo da Costa, esquina com a Rua Andrade Neves, ainda parte da "Banca do Peixe", adiante.
Uma foto do interior da Banca do Peixe, anterior à última reforma.
Frente do Mercado Público Central, para a Rua Tiradentes, esquina com a Rua Andrade Neves, mostrando nesta, à esquerda um outro lado da "Banca do Peixe" e, à direita, pela Rua Tiradentes, parte dos sanitários do Mercado.
Frente do Mercado Público Central, para a Rua Tiradentes, esquina com a Rua 15 de Novembro, mostrando, pela frente da Rua Tiradentes, à esquerda, parte dos sanitários do Mercado. À direita, pela rua 15 de Novembro, o passeio, em toda extensão, semelhante ao que aparece nas primeiras imagens com frente para a Rua Lobo da Costa.
Frente do Mercado Público Central, para a Rua 15 de Novembro.
Mercado Central - esquina de rua Lobo da Costa, à direita e 15 de Novembro à esquerda.
Mercado Central, vista aérea na direção oeste/leste, aparecendo adiante, à esquerda, pela Rua Lobo da Costa, os prédios da Escola de Agronomia Eliseu Macial, Prefeitura e o telhado da Biblioteca Pública Pelotense; na diagonal, adiante, a Praça Coronel Pedro Osõrio; e, à direita, pela Rua 15 de Novembro, a Secretaria Municipal de Finanças e demais prédios comerciais. No primeiro plano, a frente do Mercado, para a Rua Tiradentes, aparecendo nesta os Sanitários do Mercado, e à esquerda, pela Rua Andrade Neves, a Banca do Peixe.

Veja mais sobre o Mercado Público Central - Clique aqui...

Escola de Agronomia Eliseu Maciel.
Escola de Agronomia Eliseu Macial, frente para o Mercado Público Central, pela Rua Lobo da Costa esquina com o Calçadão da Rua Andrade Neves.
Antiga Escola de Agronomia. - Localização: Rua Lobo da Costa. - Construção: 1881 a 1883.
Localizada em frente ao Mercado Central, pela Rua Lobo da Costa, foi elaborada pelo desenhista e aquarelista Dominique Pineau. Concebido inicialmente como escola municipal pelos herdeiros do tenente Coronel Eliseu Antunes Maciel, para prestar-lhe uma homenagem, o prédio foi cedido pela Câmara em 1883 para a fundação da Escola de Medicina Veterinária e Agricultura Prática.  Em 1884, foi anexado ao prédio outro bloco para o Instituto Vacinológico no terreno adjacente. Formado por dois blocos, constitui-se o bloco principal de quatro grandes salas e um gabinete para o diretor. De características formais ecléticas, é uma construção térrea com porão. Possui no seu acesso corpo avançado composto por escadaria, colunas e frontão triangular. No coroamento, platibanda vazada com globos. Decoração com inscrições como: Literatura, Ciência, Indústria e Artes que fazem referência à sua função.  Arrematando o frontão, cabeça com raios de luz divergentes, menção à sabedoria. Atualmente o prédio pertence à Universidade Federal de Pelotas.  A primeira imagem foi tomada a partir da calçada frente do Mercado Central. No primeiro plano vemos uma pista pavimentada, hoje um calçadão, seguido por um passeio central e, logo após a Rua Lobo da Costa frente à Escola de Agronomia Eliseu Maciel.
Escola de Agronomia Eliseu Maciel, prédio que atualmente pertence à Universidade Federal de Pelotas. Aqui vemos sua frente pela Rua Logo da Costa e à sua direita, parte do fundo do prédio da Prefeitura, que está de frente para a Praça Coronel Pedro Osório.
Escola de Agronomia Eliseu Maciel, imagem à noite.
Escola de Agronomia Eliseu Maciel, prédio que atualmente pertence à Universidade Federal de Pelotas. Aqui vemos sua frente pela Rua Logo da Costa e à sua esquerda, pela rua Lobo da Costa, parte do prédio do antigo Banco Nacional do Comércio, atual sede do Mercosul. O prédio que aparece entre o fundo da Escola de Agronomia e o edifício em construção é o que foi anexado ao prédio, como consta acima, para ser o Instituto Vacinológico

Veja mais sobre a Escola de Agronomia Eliseu Maciel - Clique aqui...

Banco Nacional do Comércio - atual Centro de Integração do Mercosul.
Centro de Integração do Mercosul. - Localização: Rua Andrade Neves, 1529. - Horário de funcionamento: Segunda a Sexta 08:00 às 11:30 / 13:30 às 17:30. - Telefone para informações: (53) 3222-0404. - Não é cobrada taxa para visitação ao prédio. - Um pouco da história:

Foi construído a partir de 1917 e inaugurado em 1919 com o objetivo de sediar o Banco Nacional do Comércio, o qual permaneceu nesta edificação até 1937. Após este período o prédio abrigou o Banco Sul-Americano até 1985 e o Banco Meridional até 1989. Durante a década de 80 foi utilizado como Gabinete do Vice-Prefeito de Pelotas e só depois transformado no Centro de Integração do Mercosul. Seu tipo arquitetônico foi inspirado no Banco da Inglaterra, apropriado à atividade bancária. Possui dois pavimentos e foi construído em lote de esquina; possui acesso principal hierarquizado e localizado junto ao encontro das duas fachadas principais. Estilo eclético, adicionando várias tendências. Apresenta capitéis alegóricos com figuras da mitologia greco-romana: Hermes, Apolo, Minerva, Ceres e cabeças de leões na decoração externa, mostrando a influência do Positivismo - filosofia que embasou a Velha República.  Atualmente, sedia o Centro de Integração do Mercosul, e está sob a administração da Universidade Federal de Pelotas, que ali desenvolve atividades da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. Além disso, possui auditório com capacidade para 60 pessoas.
Outra imagem do prédio do Mercosul.
     
Da esquerda para a Direita: Auditório Simon Bolívar   -   Biblioteca   -   Sala de exposições   -   Mesas para consultas.   
O Centro de Integração do Mercosul dispõe atualmente de dois auditórios: Auditório Simón Bolívar, localizado na parte térrea, com capacidade para 90 pessoas e o Mini-Auditório, localizado na parte superior, com capacidade para 36 pessoas, além de um espaço utilizado para exposições, divulgações, apresentações, equipamentos para acesso à Internet e uma pequena biblioteca para consultas locais.
Imagem de satélite de Wikimapia localizando a posição do Mercosul.
Banco Pelotense - Atual Banco do Estado do Rio Grande do Sul - Banrisul.
Antigo Banco Pelotense - Banrisul

Localização: Rua Marechal Floriano, 51
Construção : 1916
Em 1906, o Banco Pelotense começa a funcionar, inicialmente à rua Andrade Neves nº 169. Foi fundado em reunião realizada na "Praça do Comércio", por convocação dos Incorporadores Dr. Joaquim Augusto Assumpção, Francisco Antunes Gomes da Costa - Barão do Arroio Grande, Coronel Alberto Rosa, Plotino Amaro Duarte e Eduardo Siqueira.  A reunião foi presidida pelo Coronel Urbano Garcia.
O capital inicial foi de 3 mil contos de réis, em 1910 já era 5 mil contos de réis e, em 1913 atingiu 10 mil contos de réis.
Em 1910, muda-se para o pavimento térreo do Clube Comercial. Através dos arquitetos construtores Peres, Monteiro & Cia, o Banco Pelotense inaugura sua sede própria em 1916.
Decorridos 16 anos de sua inauguração, contava o Banco com 69 agências espalhadas pelo Brasil: 24 no estado e as demais nos outros estados. É difícil de entender como um banco que desfrutava de tão grande influência nas rodas econômicas do país, teve uma quebra inesperada. Um mistério interpretado pelos historiadores como uma barganha política, efeito de vingança de pessoa poderosa. O fechamento ocorreu em 05 de janeiro de 1931.
O edifício foi projetado para abrigar as funções administrativas, atendimento aos clientes e residência do gerente e funcionários. Formalmente de linhas ecléticas, a obra segue uma composição bipartida: o subsolo e o andar térreo correspondem à base, revestida de orna-
mentos; correspondem ao corpo e são tratados como uma unidade, recuados em relação ao térreo e unidos através de colunas de ordem monumental . No coroamento, cobertura com mansarda. Ladeando a porta principal, duas cabeças de leão apoiam a sacada e protegem os medalhões onde se lia o nome do Banco. Com o fechamento do banco em 1931, o Governo do Estado incorporou o seu patrimônio, inclusive a matriz, hoje agência do Banrisul.
Outras imagens do Banrisul - nesta última, à direita, pela Rua Mal. Floriano, o prédio de Lojas Brasileiras, antigamente conhecida como "4400", à frente a continuação do Calçadão da Rua Andrade Neves, direção sul, tendo na esquina seguinte o Mercosul. À esquerda, parte do prédio da tradicional Drogaria e Farmácia Khautz. Nesta esquina, da direita para a esquerda temos ainda: As Lojas Sul Center no prédio da antiga Lojas Mazza, a Loja Gang e a Farmácia e Drogaria Khautz.
Outros prédios que compôem a região adjacente à Praça Coronel Pedro Osório.
Lojas Sul Center, ocupando o prédio da antiga Lojas Mazza, no Edifício Glória, construído em 1934 pelo Comendador Rafael Dias Mazza, com frente para a Rua Mal. Floriano esquina com o Calçadão da Rua Andrade Neves. Temos ainda, nesta esquina, os prédios da Loja Gang, Farmácia e Drogaria Khautz e Banrisul.
Lojas Mazza, imagem por folta de 1970, ocupando o seu próprio prédio, quando na Rua Andrade Neves ainda não existia o atual Calçadão.
Lojas Gang, antiga Casa do Povo no Calçadão da Rua Andrade Neves, esquina da Rua Marechal Floriano, em frente a Farmácia e Drogaria Khautz.
Outra imagem da loja Gang. Nesta, vemos à sua frente parte do prédio da Farmácia e Drogaria Khautz e, adiante, a esquina da Rua 15 de Novembro e Praça Coronel Pedro Osório. Naquela esquina, o último sobrado que se vê à esquerda pertence ao espólio do casal de Maria de Lourdes de Assumpção Xavier e Dr. José Ottoni Ferreira Xavier.
 
Esquerda: Farmácia Khautz no pavimento térreo do seu prédio com frente para a Rua Marechal Floriano, esquina da Rua Andrade Neves. - Direita: Farmácias Associadas ocupando o pavimento térreo do prédio da anterior Farmácia Khautz, este com frente para a Rua Andrade Neves, esquina da Rua Mal. Floriano, onde antes era a Farmácia Khautz.
Prédio pertencente ao espólio do casal de Maria de Lourdes de Assumpção Xavier e Dr. José Ottoni Ferreira Xavier. A família Assumpção teve grande importância na fundação da cidade, Banco Pelotense, Theatro Sete de Abril, entre outros tantos feitos, além de propiciarem a povoação e criação, sem excessão, das praias do Laranjal.
Voltando à esquina da rua Mal. Floriano com o Calçadão da Rua Andrade Neves, formada pelos prédios do Banrisul, Lojas Mazza, Lojas Gang e Farmácia e Drogaria Khautz, prosseguiremos agora na direção norte, pelo Calçadão, até encontrar a esquina da Rua Sete de Setembro onde estabelecemos o limite para formar o retângulo de estamos denominando "Adjacência" da Praça Coronel Pedro Osório.
Nesta esquina, Calçadão da Andrade Neves, com Rua Sete de Setembro, vemos o Chafariz, hoje chamado Chafariz do Calçadão, era anteriormente denominado Chafariz das Três Meninas ou Chafariz da Praça Domingos Rodrigues, também conhecida como Praça da Alfândega, onde foi instalado em 1874. Em 1981 foi transferido para o Calçadão da Rua Andrade Neves no cruzamento com a Rua Sete de Setembro e inaugurado neste local no dia 18 de dezembro de 1981.
A mesma imagem anterior, agora sob outro ângulo, mostrando no segundo plano um edifício em construção, no Calçadão da Rua Andrade Neves, proximidades da esquina da Rua Mal. Floriano. O prédio azul ocupa o local onde antes foi o Bule Monstro. É um dos prédios da Joalheria e Ótica Cristal.
A imagem mostra o sentido oposto da imagem anterior, mostrando o prédio da loja Trekos, também concessionária da Claro Telefonia, onde antes foi a Camisaria Paris Londres.
Detalhe do Chafariz.
O Chafariz do Calçadão da Rua Andrade Neves, esquina com Rua Sete de Setembro, na época de sua recente instalação em 1981. A foto mostra a Rua Sete de Setembro no sentido oposto à Rua 15 de Novembro. Adiante, o prédio da Sociedade Rádio Cultura de Pelotas, PRH4, na ocasião.
Esta imagem data de aproximadamente 1955, mostrando como era a esquina onde hoje está o Chafariz. À esquerda, o prédio da Camisaria Paris Londres, de propriedade de uma pessoa muito popular, o Sr. Germano Korn, já falecido, na frente, o prédio da Loja muito conhecida, o Bule Monstro que depois deu lugar a uma loja de artigos de Caça e Pesca e mais tarde a Joalheria e Ótica Cristal, de propriedade de um amigo, Joaquim Adriano Júlio, adiante, segmento da Rua Sete de Setembro, aparecendo o Edifício da Associação Comercial.
 
Esquerda: Calçadão da Rua Sete de Setembro, a partir do Chafariz do Calçadão, em direção à Rua 15 de Novembro, onde aparece à esquerda, o Edifício da Associação Comercial, tendo na esquina o famoso Café Aquários. - Direita: Na esquina do Calçadão da Rua 7 de Setembro com a Rua 15 de Novembro, o Edifício da Associação Comercial e no térreo, nesta esquina, o famoso Café Aquários. A parte do prédio que aparece na frente é da Caixa Econômica Federal.
Imagem do Edifício da Associação Comercial mostrando no térreo o famoso Café Aquários.
O interior do famoso Café Aquários visto do exterior, através da vidraça.
Caixa Econômica Federal, na Rua 15 de Novembro, esquina de Rua Sete de Setembro, em frente ao Café Aquários. Adiante, pela Rua 15 de Novembro, na esquina seguinte, o Banco Itaú e a Praça Coronel Pedro Osório.
Caixa Econômica Federal, na Rua 15 de Novembro, esquina de Rua Sete de Setembro, em frente ao Café Aquários. Adiante, pela Rua 15 de Novembro, na esquina seguinte, o Banco Itaú e a Praça Coronel Pedro Osório.
Nesta imagem vemos a Doçaria Pelotense, na Rua 15 de Novembro, esquina de Rua Sete de Setembro, em frente ao Café Aquários, de onde foi tomada a foto. Sentido oposto à foto anterior.
EO Sobrado, na Rua 15 de Novembro, esquina de Rua Sete de Setembro, em frente ao Café Aquários, tradicional Restaurante, com pista de dança e música ao vivo.
Prédio construído em 1885, rua 7 de Setembro, 253, na esquina da Rua Anchieta, de propriedade de Theodósio Fernandes Rocha. Nesta esquina tem o Edifício da antiga Caixa Econômica Federal e o Prédio do Sanep (Serviço de Saneamento de Pelotas). Foi instalada uma agência do Banco Francês e Brasileiro e posteriormente, agência do Banco Itaú.

Antiga Caixa Econômica Federal


Localização: Rua Sete de Setembro esquina de Rua Anchieta.


No documento citado abaixo o autor, em seu trabalho, cita as datas de algumas construções sem mencionar, no entanto, a data de construção deste prédio, assim como na página 93 do documento no site, esta data foi omitida, mas sabe-se que trata-se do estilo Art Decó nascido em 1925 e dentro deste estilo foram construídos em Pelotas, conforme declara o autor:

colégio Santa Margarida (1935); Correios e Telégrafos do Brasil (1938); antiga Alfândega (1935-1938); Associação Comercial (1939-1942); o residencial Glória (1934) e o Instituto de educação Assis Brasil (década de 1940).

Acreditamos que a data desta construção pode situar-se dentro deste período.

Nesta esquina, fazendo frente para a rua 7 de Setembro, situa-se prédio do Sanep (Serviço de Saneamento de Pelotas), e fazendo frente pela rua Anchieta, situa-se o prédio de propriedade de Theodósio Fernande Rocha, onde foi instalada uma agência do Banco Francês e Brasileiro e posteriormente, agência do Banco Itaú.

Perpendicularmente à Caixa Ecômica existia um Posto de Gasolina de Atílio Simone Giacoboni, onde ao lado, pela rua Anchieta situa-se o Edifício APIP (Associação dos Proprietários de Pelotas), o segundo edifício construído em Pelotas (o primeiro foi a Associação Comercial de Pelotas).
Fonte da imagem: Antonio Carlos Porto Silveira Junior - pág. 93 no link abaixo:
http://prograu.ufpel.edu.br/uploads/biblioteca/silveira_junior_antonio_carlos_porto_referencia_midia_e_projeto_-_compreendendo_a_estetica_da_.pdf .
Prédio do Sanep (Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas) na Rua Sete de Setembro na esquina com Rua Anchieta, na mesma esquina, os prédios anteriores e o antigo edifício da Caixa Econômica Federal.
Prédio do Sanep (Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas) na Rua Sete de Setembro na esquina com Rua Félix da Cunha. O prédio tem data de construção anterior a 1846 e pertencia a Domingos de Castro Antiqueira, que foi honrado com o título - Visconde de Jaguari - em 19 de fevereiro de 1846, quando recebeu e hospedou o Imperador D. Pedro II nesta residência, com frente para a Rua do Comércio (hoje Félix da Cunha) esquina de Rua do Poço (hoje rua 7 de Setembro). O piso superior é ocupado pelo Conservatório de Música de Pelotas. - Fonte dos dados: Os passeios da cidade antiga - pág. 93 de Mário Osório Magalhães.
Prédio do Jockey Clube de Pelotas, desde 1948, rua 7 de Setembro, 151, construído no século XIX, era residência da viúva Maria M. Paiva. No térreo, com frente para a Rua Félix da Cunha funciona o Café Derby, outro que também se tornou famoso, por estar instalado defronte ao antigo edifício do Fórum. A partir da frente do Café Derby, no sentido Sul, à direita, iremos encontrar na próxima esquina a Rua Princesa Isabel, a Casa da Banha - o Quartel Legalista, e Praça Coronel Pedro Osório.
 
Esquerda: Detalhe da platibanda do prédio do Jockey Clube de Pelotas . - Direita : Vista da frente do prédio do Jockey Clube de Pelotas pela rua 7 de Setembro, 151, vendo-se adiante, a partir da esquina da Rua Félix da Cunha. os antigos primeiro e segundo edifício do Fórum, seguido do antigo prédio da Caixa Econômica Federal, que faz esquina com a Rua Anchieta.
Nesta imagem, pela Rua Félix da Cunha sentido Norte/Sul, uma seqüência de prédios antigos aparecendo na esquina da Rua 7 de Setembro o Prédio do Jockey Clube de Pelotas, tendo no térreo, o Café Derby, adiante iremos encontrar na esquina da Rua Princesa Isabel, a Casa da Banha - o Quartel Legalista, e Praça Coronel Pedro Osório. O prédio ao longe é o Edifício Assumpção Rheingantz.
Neste aglomerado, destacamos o prédio à direita do Edifício Everest Center, contendo no terraço, uma antena de uma estação de Rádio FM de Pelotas. Está na esquina da Rua Gonçalves Chaves com Rua Princesa Isabel, a uma quadra da Praça Coronel Pedro Osório e Casa da Banha, o Quartel Legalista. Ainda nesta esquina veremos o prédio do Instituto Nossa Senhora da Conceição.
Prédio do Asilo de Órfãs Nossa Senhora da Conceição, construído em 1885 na Rua Gonçalves Chaves, 602. Ocupa o quarteirão inteiro, formado pelas ruas Gonçalves Chaves, Barão de Butuí, Santa Cruz e, Princesa Isabel. Há muitos anos ocupou parte do quarteirão adjacente com frente para a Rua Santa Cruz, onde tinha sua chácara. O edifício que se vê adiante é o Everest Center, da imagem acima.
Asilo de Órfãs Nossa Senhora da Conceição, na Rua Gonçalves Chaves, 602. A esquina no primeiro plano é a Rua Princesa Isabel, frente ao Edifício Everest Center. O edifício que se vê adiante é um prédio residencial na esquina da Rua Barão de Butuí.
Fachada do Asilo de Órfãs Nossa Senhora da Conceição, pela Rua Gonçalves Chaves, 602.
Prédio da 5a. Delegacia de Educação no início dos anos 70, na Rua Barão de Butuí, esquina da Rua Gonçalves Chaves, por onde faz frente para o Asilo de Órfãs Nossa Senhora da Conceição.
Foto do Acervo Arthur H Capão do Leão.
Este prédio está situado na Rua Gonçalves Chaves, para onde faz frente, na esquina da Rua Barão de Butuí. Pela Rua Barão de Butuí faz fundos com o Casarão nº 8 do Barão de Cacequi, que está em frente à Praça Coronel Pedro Osório. Na esquina, em sua diagonal está o Asilo de Órfãs Nossa Senhora da Conceição e adiante, pela Rua Gonçalves Chaves, chegaremos à esquina da Rua Lodo da Costa.
Este prédio está situado na Rua Gonçalves Chaves, esquina da rua Lobo da costa, na frente da lateral do Theatro Guarany.
Theatro Guarany.
Theatro Guarany

Foto da saída de uma sessão vespertina na década de 30.

Localização: Rua Lobo da Costa, 849
Funcionamento: O Teatro é aberto somente quando há apresentações artístico-culturais ou com agendamentos. Telefones para informações: (53)3225.7636
Construído entre 1920/21, projeto de Stanislau Szarfarki, Francisco Vieira Xavier, Francisco Santos e Rosauro Zambrano. Contrataram, no ano de 1920 o empreiteiro Paulino Rodrigues para a construção deste teatro.
Durante a obra  houve  uma   mudançade construtor, passando a responsabilidade para a firma Rodrigues & Cia. Sua  capacidade, somando camarotes e platéia, é  de
aproximadamente 1500 lugares. Possui mais 900 lugares na "geral" e 25 camarins para artistas.  A grande volumetria do prédio tem na sua fachada figuras e alegorias com motivos indígenas na platibanda vazada e acesso marcado por avanço volumétrico formando um terraço e marquise com linhas sinuosas do estilo Art-Nouveau em ferro e vidro. Apresenta dois terraços laterais com colunas e pilastras dóricas que abrem portas para o "foyer", para recreio dos ocupantes dos camarotes.
Internamente as pinturas do teto originais são de Willy Schmidt e Joaquim Lamas Filho. As escadarias, com balaustradas de ferro trabalhado em renda, e degraus de mármore acessam à primeira e segunda ordens de camarotes. Seus materiais vieram de diversos pontos do país e do exterior: a cúpula metálica do teto e mobília do salão e secretaria são de Buenos Aires; a marquise e gradís vieram da Fundição Indígena (RJ); os mármores e o pano de honra do teatro, da Itália; a mobília da platéia e camarotes, de Porto Alegre; as guarnições de veludo rouge dos parapeitos dos camarotes e cortinas, da Colchoaria Pelotense; as esculturas em mármore foram executadas por Angelo Giusti.
Foi inaugurado no dia 30 de abril de 1921 com a apresentação da ópera "O Guarany" de Carlos Gomes, a cargo da Companhia Lírica Italiana Maranti. A data de 1920, estampada no tímpano do frontão, comemora os 50 anos da estréia desta ópera no Teatro Scala de Milão. Durante a década de 70, sofreu grande reforma: reduziram o pé direito da platéia com um forro que escondeu as pinturas do teto, perdendo-se assim o "Paraíso". Atualmente, o Teatro Guarany segue como casa de espetáculos e local de atos solenes, com destaque para cerimônias de formatura.
Em textos extraídos de: "Pelotas Memória - Fasc. V - 1990, de Nelson Nobre Magalhães", encontramos o seguinte:
Na Fase do Cinema Mudo:   "A 18 de maio de 1921 inauguraram-se as sessões cinematográficas no Theatro Guarany, com o melodrama "Defraudando o Público", da Foxfilm, estrelado por Enid Markey.   Enorme multidão ficou fora do Theatro. esperando a 2ª sessão e sendo vendidas três mil e oitocentas entradas.   A orquestra era regida pelo maestro Raul Moraes".
Inauguração do cinema Sonoro em Pelotas:   "A 17 de dezembro de 1930, a empresa Theatro Guarany e a Paramonut Films, faziam uma sessão especial para a imprensa e convidados, apresentando o aparelho sonoro "Western Eletric". Inaugurava-se então no Theatro Guarany, com um film-jornal e a opereta "Alvorada do Mar", com Maurice Chevalier e Jeanette MacDonald, a era do cinema falado".
Nota: 1 - O Maestro Tomeu Tagnin, era também regente da Orquestra no cinema mudo.
Nota: 2 - O aparelho sonoro "Western Eletric" - décadas mais tarde foi substituído pelo Gaudmont Phaté (francês).

Veja mais sobre o Theatro Guarany - Clique aqui...

Casa do Barão de Irapuã, rua Lobo da Costa, entre as ruas Félix da Cunha e Gonçalves Chaves, na frente do Theatro Guarany. Construída pelos Barões de Irapuá Antonio Luis Cardoso Salles e sua esposa Percília dos Anjos Ribas Salles, para a sua filha Branca Salles, ao casar com José Maria Nogueira. A casa leva o nome do Barão embora a filha é que tenha morado nela. As janelas são característsicas, com vidro pequeno, cortado de modo artístico, segundo o feitio das aberturas e o estilo da casa com ventarola.
Sobre o portão, o famoso leão segurando a chave da casa entre os dentes, como a dar a idéia de que naquela residência moram a honra e a dignidade, probidades jamais desvirtuadas, pois o guardião está atento...
A platibanda é carregada de ornatos: um anjo em cima de um grande vaso com flores de onde saem guirlandas em baldaquim, seguras por duas figuras de mulheres, uma de cada lado, em posição de descanço. Dois Grandes vasos compostos por supostas plantas de cimento adornam o cume de duas colunas quadradas
Fonte: do Livro Pelotas - Casarões contam sua História - 3º vol. páginas 188/9 - Zênia de Leon.
Este prédio, lindeiro com a casa do Barão de Itapuã, completa a esquina das Ruas Lobo da Costa e Gonçalves Chaves. A parte do último prédio, ao longe, é o que faz esquina com a Rua Barão de Butuí, mostrado logo acima.
Faculdade de Odontologia de Pelotas - Universidade Federal de Pelotas - Rua Gonçalves Chaves, 457 ao lado do terreno no fundo do Colégio Salis Goulart e que faz esquina com a Rua Tiradentes, na quadra seguinte ao Theatro Guarany, na direção sul. Na direção oeste, o terreno arborizado, cercado com muro faz fundo com o prédio do antigo Colégio Pelotense, depois Sális Goulart, em frente ao prédio dos Correios, pela Rua Félix da Cunha.
Residência do Comendador Domingos Rodrigues Ribas - Rua Félix da Cunha, 520 - em frente ao prédio dos Correios.   O solar foi construído entre 1832-1835 pelo arquiteto português João de Deus Castanheira, contratado especialmente em Lisboa. O proprietário, o Comendador, era de família nobre e cunhado do Conde de Piratini. O Palacete era de dois pavimentos mais camarinha (destruída em 1975), e seguia o modelo do Paço Imperial do Rio de Janeiro. Por duas vezes, em 1865 e 1885, o sobrado abrigou membros da familia real, e o próprio imperador D. Pedro II.  Em 1902-1903 a Maçonaria comprou o prédio para ali instalar o recém criado Gymnasio Pelotense, posteriormente Colégio Municipal Pelotense, onde ficou até 1961. Durante o período do Colégio Municipal Pelotense, a camarinha era utilizada como sala de aula de desenho. Após a mudança do Colégio Municipal Pelotense para a Avenida Bento Gonçalves, o prédio foi ocupado pelo Colégio Salis Goulart. Atualmente (2013) não tenho conhecimento de quem o ocupa.
Fonte: www.vivaocharque.com.br/albuns/perello/perello04/perello04.htm.
Prédio dos Correios, Rua Félix da cunha esquina de Rua Tiradentes, em duas imagens do Google Maps, mostrando na primeira a frente para a Rua Tiradentes e na segunda mostrando também, a frente para a Rua Félix da Cunha. Aqui encerra a apresentação dos prédios mais significativos, adjacentes ao entorno da Praça Coronel Pedro Osório.
Brasil - Rio Grande do Sul   -   Pelotas - Adjacência da Praça Coronel Pedro Osório.