Brasil - Rio Grande do Sul -   Pelotas - Praça Coronel Pedro Osório
Imagens da região mais central da cidade, conhecida como 'O Coração de Pelotas', começam com a Praça Coronel Pedro Osório, seu entorno e adjacências, com a maioria dos prédios já tombados pelo patrimônio histórico, cujos proprietários, os "Barões do Charque", fizeram a história de Pelotas. A praça teve as seguintes denominações:
Praça do Theatro; - Praça da Regeneração; - Praça D. Pedro II; - Praça da República; e, - Praça Coronel Pedro Osório - desde 07 de março de 1931.
A Praça está situada em terreno que tem a seguinte história:
"Em 2 de julho de 1813, o Governador da Capitania, Dom Diogo de Souza, concedeu a dona Mariana Eufrásia da Silveira - viúva do terceiro Capitão Mor do Rio Grande, Francisco Pires Casado - o terreno que ela provou possuir desde 1784..." - "Dona Mariana obrigava-se a doar, conforme prometera no requerimento, 80 braças em quadro para uma praça, uma quadra junto à praça para uma nova Igreja, 80 braças em quadro para hospital e quartel".
Nas áreas doadas por dona Mariana, apenas a praça foi respeitada. Nas demais áreas foram construídas a Prefeitura e a Biblioteca. Onde D. Pedro II lançou a pedra fundamental da nova Igreja, por muitos anos existiu a famosa Confeitaria Brasil.
Logo após 1830 quando a Freguesia foi elevada a Vila, foi construído no centro da Praça um Pelourinho como símbolo da autonomia. O Pelourinho existiu até 1873, quando foi substituído pelo Chafariz, a Fonte das Nereidas.
Praça Coronel Pedro Osório vista pelo seu contorno.
Praça da República em 1904 ainda era cercada. -  Atual Praça Coronel Pedro Osório, mostrando a esquina da Rua Félix da Cunha com Rua Lobo da Costa.  Os prédios que aparecem com frente para a Rua Félix da Cunha, sentido sul-norte foram, na seqüência, de propriedade de: Casa nº 2 - Barão de Butuí - José Antônio Moreira; - Casa nº 6 - Barão de São Luís - Leopoldo Antunes Maciel; e, - Casa nº 8 - Barão de Cacequi - Conselheiro Francisco Antunes Maciel.
Praça da República em 1922. -  Atual Praça Coronel Pedro Osório com frente para a Rua Marechal Floriano, sentido leste-oeste (para o bairro Fragata), sendo a primeira esquina, adiante, a Rua 15 de Novembro. Nesta, da esquerda para a direita, os dois primeiros prédios de 2 andares são a Prefeitura e a Biblioteca Pública, fazendo esquina com a Rua Conde de Piratini (a Biblioteta antes era somente o pavimento térreo). Na quadra e esquina seguinte, o prédio da Confeitaria Brasil, fazendo esquina com a Rua Ismael Soares e, na quadra seguinte, fazendo esquina com a rua Marechal Floriano, prédios baixos, atualmente é o Rex Hotel, um edifício de 6 andares. Na esquina nota-se um bonde de dois andares. O prédio de três andares, mais adiante, pela Rua Marechal Floriano era o Banco Pelotense.
Praça Coronel Pedro Osório em 2005. -  Comparando com a imagem anterior, com frente para a Rua Marechal Floriano, sentido leste-oeste (para o bairro Fragata), tomada a partir de uma sacada do Edifício Sulbanco, sendo a primeira esquina, adiante, a Rua 15 de Novembro. Nesta, da esquerda para a direita, já não aparecem os prédios da Prefeitura e Biblioteca Pública, e no local do prédio da Confeitaria Brasil aparece agora um edifício em construção onde funcionou o Bamerindos. Na quadra seguinte, fazendo esquina com a rua Marechal Floriano está o prédio do Rex Hotel, um edifício de 6 andares em cores claras. Adiante,pela Rua Marechal Floriano vemos entre outros, mais dois edifícios, os mais altos, também em cores claras, o primeiro está na esquina é o prédio que antes era o Banco Pelotense, é atualmente o Banco do Estado do Rio Grande do Sul - Banrisul, o segundo prédio é na esquina da Rua General Osório, a rua posterior, é o Edifício Feliciano Xavier onde funcionou no térreo, na esquina, o Supermercado Xavier & Irmão, depois Supermercado Xavier, este do grupo Joaquim Oliveira S/A.
Praça Coronel Pedro Osório em 2005 - A mesma imagem anterior, agora sob outro ângulo e maior aproximação, tomada a partir de uma sacada do Edifício Sulbanco.
Praça Coronel Pedro Osório em 2005 - A imagem é uma seqüência da anterior e a partir de seu lado esquerdo, tomada da mesma posição e direcionando-se agora para a esquina da Rua Félix da Cunha.
Praça Coronel Pedro Osório em 2005 - Como na foto anterior, esta é uma seqüência da mesma e a partir de seu lado esquerdo, tomada da mesma posição e encontrando-se agora com a esquina da Rua Félix da Cunha, que faz seu contorno no sentido norte-sul, onde irá fazer esquina com a Rua Lobo da Costa.
Praça Coronel Pedro Osório - o Chafariz.
Praça Coronel Pedro Osório - Chafariz - Fonte das Nereidas - Este Chafariz, inaugurado em 25 de junho de 1873, foi presente da França para a cidade de Pelotas. Foi projetado pelo artista francês A . D. Sonnevoire. Ele foi assentado no centro da Praça, no local onde existiu o Pelourinho.  A Fonte das Nereidas é o único chafariz de Pelotas que permanece no lugar onde foi assentado originalmente.

Bibliografia: Pelotas Memória - ano 12 nº 3 2001 - página 07 e imagens esparsas da Internet.
 
 
 
Praça Coronel Pedro Osório - o espaço infantil.
Lateral da praça pelo lado da Rua Félix da Cunha, aparecendo adiante o "Espaço Infantil", onde as crianças são levadas para se divertir nos balanços, gangorras, entre outros brinquedos.
 
Imagens do "Escorregador". No topo. na imagem, à direita, aparece parte da escadaria que conduz ao banheiro público subterrâneo. Na foto logo acima aparecem a maioria dos brinquedos infantis. Abaixo, outra imagem na área dos brinquedos infantís.
Praça Coronel Pedro Osório - o Lago.
 
 
A "Gruta" que aparece em algumas imagens, mais conhecida como a Casa do Lago, foi foi por muitos anos o banheiro público da praça. Atualmente é usada para depósitos de ferramentas de manutenção do lago. Na última foto, o Prefeito Fetter Jr. em alguma solenidade.
Praça Coronel Pedro Osório - Monumentos em seu interior.
Monumento à Yolanda Pereira - Miss Universo 1930. -  Yolanda Pereira foi a primeira Miss Universo Brasileira, chamada pela cronista Eneida, do Rio de Janeiro, de "A Sinhazinha do Brasil".  O concurso de Pelotas que a elegeu como a "Beleza Suave" foi coordenado pelo jornalista de méritos, Waldemar Coufal, classificando-a como "A Beleza e a Glória".
Yolanda Pereira residia na Praça José Bonifácio, 1 - esquina com a Rua Félix da Cunha, também conhecida como Praça da Igreja Catedral.

Texto adaptado, extraído do livro da escritora Zênia de Leon: Pelotas - Casarões Contam Sua História - 1º. volume - página 110.
Monumento à Yolanda Pereira - Miss Universo 1930. -  Dr. Francisco Simões Lopes, discursando na inauguração do Pedestal à Yolanda Pereira na Praça da República em 1931 (atual Praça Cel Pedro Osório).

Foto de: Revista Pelotas Memória - Especial 1992.
Monumento ao Barão do Itapitocai - Dr. Miguel Barcellos.  Médico pelotense, casado em primeira núpcias com Eulália Bárbara de Azevedo e, em segunda núpcias com a Sra. Joana de Mendonça Cunha, até o ano de 1902.  Foi o proprietário do prédio construído no Século XIX, situado na Rua Dr. Miguel Barcellos, 563, tendo se tornado Sede provisória do Colégio Municipal Pelotense, a partir de 02/02/1903.  Atualmente é onde funciona a Escola Estadual de Ensino Médio Monsenhor Queiróz.  As tendas  que aparecem na foto são da "Feira do Livro" que tem efeito, anualmente, num período de aproximadamente 15 dias.
Monumento ao centenário de nascimento do Coronel Pedro Osório - 1854/1954.  Nascido em 9 de junho de 1854 no povoado de Nossa Senhora da Assunção de Caçapava, atual Caçapava do Sul, Pedro Luís da Rocha Osório, filho do Major José Luís Osório e Florinda da Rocha Osório, o sétimo de dez filhos. Doze anos mais tarde, órfão de pai e mãe, começou a trabalhar como tropeiro. Em 20 de junho de 1871, chegou a Pelotas aos 17 anos de idade, empregando-se como caixeiro na loja de tecidos de Januário Joaquim Amarante e mais tarde, em 1875, caixeiro da Charqueada Boa Vista de Francisco Antunes Gomes da Costa, Barão do Arroio Grande. Em 1885 contando com um capital de dezoito contos de réis, lançou-se por conta própria na industrialização da carne. Em 1888, comprou a Charqueada do Areal de Bernardino Rodrigues Barcelos, da Costa da Cia. Pastoril e Industrial do Sul do Brasil, e São Gonçalo.  No Ano seguinte, em sociedade com o Coronel Alberto Rosa fundou a empresa Pedro Osório & Cia. ficando depois, conhecido no Brasil e no mundo como "O Rei do Arroz".
A mesma imagem sob outro ângulo.
Monumento a Domingos José de Almeida.  O monumento localiza-se na Praça Coronel Pedro Osório, na frente da Prefeitura Municipal da cidade. Na face frontal: Placa de bronze com a inscrição: "Domingos José de Almeida - Delineador desta cidade a que deu o nome - Benemérito obreiro do progresso local - Homenagem do Município de Pelotas".  Na lateral esquerda, inscrição no mármore: "Faleceu a 6 de maio de 1871 em sua residência na Costa do Arroio Pelotas".   Na lateral direita, inscrição no mármore: "Nasceu a 9 de julho de 1797 no Districto de Diamantina".  Na face do fundo, inscrição no mármore:  "Abnegado patriota - &Paladino da República Rio Grandense da qual foi Ministro do Interior e da Fazenda - 1836 a 1841".
Monumento a Domingos José de Almeida.  A inscrição na placa:  Domingos  José  de  Almeida  -   Delineador  desta cidade a  que  deu  o nome  -  Benemérito  obreiro  do  progresso  local  -  Homenagem  do Município  de  Pelotas".
 
Monumento à Mãe, sob outro ângulo.
O Relógio Solar no interior da praça se localiza nas proximidades da frente do Theatro Sete de Abril. Consta em seu corpo especificações da orientação solar em Pelotas, bem como sua latitude e longitude.
Praça Coronel Pedro Osório - outras imagens de seu interior.
Vista do interior da Praça para a esquina formada pelas Ruas Félix da Cunha com a Rua Princesa Isabel. O prédio verde que aparece à esquerda é o do antigo Quartel Legalista, conhecido hoje como o prédio da Casa da Banha.
Vista do interior da Praça para a esquina formada pelas Ruas XV de Novembro, Rua Princesa Isabel vindo do lado direito para finalizar na Rua XV de Novembro e a continuaçao para o lado esquerdo é o início da Rua Marechal Floriano. O prédio que aparece à esquerda, um edifício de cinco andares, tendo uma barra vermelha na base, seguida de uma cor amarela no primeiro piso e verde para cima é o do Rex Hotel. O prédio que aparece à frente, na saída da Praça, e que está fazendo esquina com as Ruas Marechal Floriano, e XV de Novembro é do antigo Banco HSBC, antes Bamerindus. Em frente a sua lateral encontra-se o Banco Itaú.
Praça Coronel Pedro Osório - A Feira do Livro em seu interior.
 
 
 
 
 
Brasil - Rio Grande do Sul   -   Pelotas - Praça Coronel Pedro Osório.