============================================================================================
Pelotas - Cidade antiga -   Prédios antigos - Região central
   ============================================================================================
Prédios antigos - Região central - Na Cidade Antiga, dentro da região central da cidade, apresentamos os prédios antigos, fazendo ou não parte da história de Pelotas mas que, de alguma forma, compões a sua históra. Quando couber, as fontes associadas a determinaa apresentação serão citadas.
Residência de José Antônio Torres
Residência de José Antônio Torres. - Construção: Início do século XIX - Endereço: Rua Major Cícero, 201 - entre Félix da Cunha e Anchieta

Sobre esta casa, o Prof. Mário Osório Magalhães, em seu livro: Os Passeios da Cidade Antiga, página 38, diz o seguinte:
"... o cidadão Antônio José Torres, em cuja casa coberta de palha, fizeram-se algumas reuniões para decidir em que lugar deveria centralizar-se a freguesia - se na lomba do Asilo ou se na atual Catedral, esta última opção prevalecendo, embora autoritariamente. &nbap;Esta casa que, reformada, ainda existe, sendo provavelmente a mais antiga da cidade. ..."

Fonte: www.vivaocharque.com.br/albuns/Perello/Perello04/Perello04.htm
Bibliografia: Os Passeios da Cidade Antiga - Mário Osório Magalhães
Banda União Democrática
Banda União Democrática. - Endereço: Rua Major Cícero, 401

No dia 7 de setembro de 1896 foi fundada a "Banda Democrática", sendo seus fundadores o maestro Machado de Oliveira, Adolfo Dias, João Bptista Lorena, João V. da Silva e, Cândido de Oliveira.   A Sede foi inaugurada em 1916. É uma casa simples com estilo eclético. Na platibanda um alto relevo salienta alguns instrumentos musicais. A partir de 1946, por lei do prefeito Dr. Procópio Duval Gomes de Feitas, o imóvel ficou isento, em caráter vitalício, do pagamento do Imposto Predial.  A primeira apresentação da banda foi a 12 de dezembro de 1896, na Bibliotteta Pública Pelotense, numa festa promovida pelo "Recreio dos Artistas".  Em 1906 a Banda União Democrática apresentava-se como a principal banda da cidade, e foi por isso que recebeu o Presidente da República, Dr. Afonso Penna, quando de sua visita a Pelotas.   Comícios, festas religiosas, competições esportivas, apresentações nos clutes e teatros e retretas nos parques e praças, contaram sempre com a presença da banda.  A banda fez a vida da cidade durante 60 anos ininterruptos.   Com o advento do cinema falado, e outros meios de entretenimento, começou a antrar em crise. A Banda União Democrática ainda vive, mas não atua como antigamente, seus membros participam de grupos musicais, fazem a noite da cidade e atuam em clubes e bailes.  A baida ainda comemora festivamente o "Dia do Músico" - "Dia de Santa Cecília", quando enaltece a padroeira.

Fonte: www.vivaocharque.com.br/albuns/Perello/Perello04/Perello04.htm
Bibliografia: Pelotas - Casarões contam sua História - 2°. Vol. - Zênia De Leon
Casarão Mendonça
Residência de José Pontes Franca e Florinda Jacinto de Mendonça. - Endereço: Rua Gonçalves Chaves, 703, esquina da Rua 7 de Setembro, construída no século XIX.
Fonte: www.vivaocharque.com.br/albuns/Perello/Perello04/Perello04.htm
Casa em estilo colonial rua Gonçalves Chaves esquina rua Sete de Setembro - Fonte: não declarada
Residência de Thomaz Mendonça de Azevedo - Rua Sete de Setembro esquina Gonçalves Chaves
Santa Casa de Misericórdia
Santa Casa de Misericórdia - 1846 - 1861. - A 4 de janeiro de 1846, foi realizada a 1ª reunião para tratar da fundação de um Hospital de Caridade, ocasião em que foi instituida a Irmandade da Santa Casa.  Em 19 de março de 1848, foi aberto solenemente o hospital, para atender a pobreza desvalida, em prédio na antiga rua S. Jerônimo (hoje Rua Marechal Floriano).  Somente em 2 de dezembro de 1861, foi colocada a pedra fundamental para a construção do atual prédio, sob a Provedoria do Conde de Piratini, João Francisco Vieira Braga.  Em 24 de junho de 1872, foi feita a transferência dos enfermos.
A construção foi feita em blocos, sendo a mais antiga a que tem 2 pisos, marcada pela regularidade das aberturas padronizadas, e pilastras coríntias, atribuída a José Vieira Pimenta.
Uma série de amplicação de novos blocos: a de 1900 - atribuida ao projeto de Guilherme Marcueci; a de 1915 do arquiteto Campos Monteiro; a de 1921 realizada pelo engenheiro Paulo Gertum; e, a de 1932 com projeto de Caetano Casaretto, dão ao hospital a dimensão atual.  A Capela São João Batista, que ocupa o centro da fachada foi finalizada em 1884, obra do arquiteto italizno José Isella.
Texto: www.vivaocharque.com.br/albuns/Perello/Perello04/Perello04.htm
Bibliografia: A Cidade de Pelotas - de Fernando Luís Osório - 100 Imagens da Arquitetura Pelotense. Foto: fonte não declarada.
Cartão Postal - mesma foto - Santa Casa de Misericordia e Reservatorio Hydraulico
Outros Prédios - Comerciais
Nesta foto (algum evento esportivo do Colégio Gonzaga) podemos ver toda a fachada da primeira filial das Casas Procópio na rua XV de Novembro, provavelmente década de 40 ou 50. A esquerda Fruteira Frios.
Fonte: Pretérita Urbe - foto gentilmente compartilhada por Letícia Arraldi Boscatto.
Casa comercial Scholberg & Cia 1916. Rua Andrade Neves esquina Sete de Setembro
A Vitoriosa - Praça 7 de Julho (frente) esquina de Rua Tiradentes - Fonte: Pretérita Urbe - M. Schafirowitz - 1947
Esquerda: Aos Grandes Armazéns Hermínios, Rua 15 de Novembro esquina rua Gal. Neto - Década de 1930 - Foto: www.almanequedepelotas.com.br/almanaque-v3.pdf-Imagem 177/644. - Direita: Chapelaria Pelotense - Foto: www.almanequedepelotas.com.br/almanaque-v3.pdf-Imagem 223/644.
Interior da antiga Confeitaria Dalila - cartão postal sem data - Foto: www.almanequedepelotas.com.br/almanaque-v3.pdf-Imagem 188/644.
Prédio da Atalaia Pelotense - Rua Andrade Neves
Prédio da Casa Adelon na Praça Piratinino de Almeida, frente para a Rua Barão de Santa Tecla
Prédio da Alfaiataria Salvador na Rua Barão XV de Novembro
Farmácia Arruda - Texto na fonte: "Através das informações dos amigos da página descobrimos que ficava na rua Gen. Telles esquina Gonçalves Chaves. Parece que pertenceu ao Sr. Amaury Arruda e sua esposa Luiza. Obrigada. Por isso é importante os comentários de vocês ajudam a identificar e trazer informações." Fonte: Facebook - PelotgasAntiga
Nota do editor: Em 1960 tive um cliente de banco, com conta não jurídica, Amaury Gomes Arruda, que tinha ou teve uma Farmácia.
Pelotas - Cidade antiga   -   Prédios antigos - Região central